quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Filho...


Eu te amei o suficiente para ter perguntado aonde vai, com quem vai e a que horas voltaria.
Eu te amei o suficiente para não ter ficado em silêncio e fazer com que você soubesse que aquele novo amigo não era boa companhia.
Eu te amei o suficiente para fazê-lo assumir os erros e pedir perdão quando necessário.
Voltar ao lugar e retratar-se ao propriertario dizendo“Eu quebrei isto ontem e quero pagar”.
Eu te amei o suficiente para ter ficado em pé, junto de vocês, duas horas, enquanto limpavam o seu quarto,tarefa que eu teria feito em 15 minutos.
Eu te amei o suficiente para deixá-lo ver além do amor que eu sentia por você, o desapontamento e também as lágrimas nos meus olhos.
Eu te amei o suficiente para deixá-lo assumir a responsabilidade das suas ações, mesmo quando as penalidades eram tão duras que me partiam o coração.
Mais do que tudo, eu te amei o suficiente para lhe dizer NÃO, quando eu sabia que vocês poderiam me odiar por isso (e em alguns momentos até odiou).
Estas eram as mais difíceis batalhas de todas.
Estou contente, venci...Porque no final você venceu também!E qualquer dia, quando os meus netos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva os pais e mães; Quando eles perguntarem se os teus pais eram maus, os meus filhos vão dizer:“Sim, os nossos pais eram maus.
Eram os piores do mundo...As outras crianças comiam doces no café e nós só tinhamos que comer cereais, ovos, torradas.
As outras crianças bebiam refrigerante e comiam batatas fritas e sorvetes no almoço e nós tinhamos que comer arroz, feijão, carne, legumes e frutas.
Nossos pais tinham que saber quem eram os nossos amigos e o que nós fazíamos com eles. Insistiam que lhes disséssemos com quem íamos sair, mesmo que demorássemos apenas uma hora ou menos.
Nossos pais insistiam sempre conosco para que lhes disséssemos sempre a verdade e apenas a verdade.
E quando éramos adolescentes, eles conseguiam até ler os nossos pensamentos.
A nossa vida era mesmo chata”!Nossos pais não deixavam os nossos amigos tocarem a buzina para que saíssemos; tinham que subir, bater à porta, para que os nossos pais os conhecessem. Enquanto todos podiam voltar tarde da noite com 12 anos, tivemos que esperar pelo menos 16 para chegar um pouco mais tarde, e aqueles chatos levantavam para saber se a festa foi boa (só para verem como estávamos ao voltar)”.
“Por causa dos nossos pais, nós perdemos imensas experiências na adolescência.- Nenhum de nós esteve envolvido com drogas, em roubo, em atos de vandalismo, em violação de propriedade, nem fomos presos por nenhum crime”.“FOI TUDO POR CAUSA DOS NOSSOS PAIS!”

Beijos no coração

5 comentários:

Deisi e Clara on 15 de janeiro de 2009 22:52 disse...

oi Florzinha!!!

não sei se já falei no post anterior..mias Pa ra Béns pelo mesversário da bonequinha viu!!!

ahh...amei o texto..adoro esses textos de reflexão sabe!!, tb concordo mt com ele..a gente q tem q dar limites pros nossos filhos, fui criada assim, tendo horarios, meus pais implicando com meus amigos...affeeee...q fase é essa gente de adolescencia!! NINGUÉM MERECE VIU!! kakakaka
ainda bem q já passou e hoje sou mãe..espero poder educca sneod amiga dos meus filho ( ainda vai vir mais um irmão da Clara daki uns 3 ano né!!)

Mil Beijocas =)

Maria José on 16 de janeiro de 2009 08:29 disse...

Tu és linda adorei o texto.
FORÇA

Sofia,Pedro e Joana on 16 de janeiro de 2009 12:14 disse...

Que texto fantástico, adorei!
Beijinhos e bom fim-de-semana, Sofia,Pedro e Joana

Dany on 16 de janeiro de 2009 16:25 disse...

Lindo, lindo texto!
Beijão

Filipa on 20 de janeiro de 2009 18:48 disse...

Acho que vou "roubar" este texto e vou por no meu Blog!!!

Um beijinho

Ja Falei

 

Copyright © 2008 Green Scrapbook Diary Designed by SimplyWP | Made free by Scrapbooking Software | Bloggerized by Ipiet Notez