sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Um pouquinho do que voces não sabem...


Faz algum tempo que venho pensando em contar pra vocês, uma parte da minha vida que muitos não conhecem, e que eu até poderia ter relatado antes, mas eu não me senti a vontade pra contar, mas hoje acordei decidida, acho que se eu não falar aqui, eu não estarei sendo verdadeira comigo mesma, sei que ninguém é obrigado a falar aquilo que não quer, ainda mais na Internet, onde todos podem ler, mas como minha vida não é uma mentira, pelo contrario é muito real, decidi dividir com vocês, só adianto que o resumo vai ser grande, pois pra eu relatar tudo que aconteceu precisarei de um mês. Então vamos lá.
***************************************************

Eu tinha 17 anos e meu marido 24, na época (1990) ele era sargento num quartel em curitiba-PR, o Luis tinha 4 meses, nós não estávamos nos entendendo muito bem, aos poucos nem conversar não conversava-mos mais, eu tinha uma cabecinha muito infantil, mimada e sempre fui muito autoritária (sofri muito por isso) enquanto ele era vivido, tinha um cargo importante no quartel, era acostumado a dar ordens aos milicos, não tinha tanta paciência para minhas crises. hehehe. Conheci ele num jogo de futebol, ele toda vez que pegava folga do quartel vinha pra Londrina e nos finais de semana jogava em uma quadra com os irmãos, com 16 anos nos finais de semana era a única coisa que minha mãe deixava eu fazer, ir com as amigas ver o jogo, que a quadra era próxima de casa. No começo do nosso namoro teve muita gente contra, pois ele era 7 anos mais velho, mas mesmo assim briguei com todos por ele.
Sempre o amei muito, e quando ele chegou e disse : -Estou indo embora, pra mim foi como se tivesse caído o mundo em minha cabeça, eu gelei, chorei muito e mil coisas se passou em minha cabeça, ainda demorou 15 dias até que ele fosse embora, cheguei a pensar que ele tinha desistido, mas no momento de arrumar as malas desabei, acho que o pior momento da minha vida foi ver ele partir, entrei em depressão profunda e tive que fazer tratamento por 2 anos com picicologo, e por dois anos eu não deixei ele ver o Luis, não mandava fotos e nada, mas também nunca falei mal dele pro Luis, acho uma tremenda sacanagem a mulher que separa e depois fica colocando o filho contra o pai, eu fiz o contrario sempre falei bem do pai pro meu filho, tanto que eu mesma ligava pra casa do pai pro Luis conversar com ele...Nessa época eu trabalhava como louca em um restaurante, fazia 2 turnos para dar conta de sustentar e não deixar faltar nada pra o Luis, e pra ajudar o Luis tinha Bronquite alérgico e asmático, passava noites em claro com ele em hospitais.
Quando fez cinco anos que estava-mos separados, entrei em uma academia, pois a sobrinha do meu cunhado insistia muito para que eu entrasse, fui mais por causa de minha mãe, que não aguentava mais me ver sozinha, e só trabalhando, la fiz muitos amigos e comecei a me sentir viva novamente, nessa época eu deixava o Luis passar as ferias de Julho com o pai o que o deixava radiante...um belo dia recebi na saída da academia um buque enorme de rosas vermelhas, com um cartão super carinhoso, de uma pessoa que ja me cercava com cantadas a algum tempo, não vou falar o nome dessa pessoa pois vai que ele le o meu blog e não gosta ?, então vou chama-lo de M , fiquei toda radiante com o carinho dele, ele me convidava para jantar em restaurantes super chique mas eu sempre recusava, falava pra ele que ainda amava o pai do meu filho e que mesmo tendo se passado cinco anos eu tinha medo de me relacionar com outra pessoa.
Ele foi persistente por mais de 6 meses, até que um dia resolvi sair com ele, ele era super carinhoso e tratava meu filho com muito amor, passaram quase um ano, e um dia resolvemos morar juntos, no inicio tudo foi as mil maravilhas, até o dia em que ele maltratou meu filho, tive uma conversa seria com ele e disse que para ficar comigo teria que aceitar meu filho como se fosse dele, nessa época o Luis me pedia muito um irmão, então parei com os anticoncepcionais, engravidei mas perdi quando fiz quatro meses de gestação, chorei muito e mais ainda quando o medico disse que eu não poderia mais ter filhos.
Passei 7 anos junto dessa pessoa, e digo que foi muito sofrimento, ele nunca encostou um dedo em mim, até porque ele não era besta, se fizesse ja era...mas me agredia verbalmente e sempre estava descontando suas raiva no Luis, muitas vezes fez piadinhas se referindo ao pai do Luis, e isso pro meu filho era a morte , ele chorava muito pedindo pra que não tirasse sarro do pai dele...Nos separamos o Luis tinha 12 anos e foi a gloria pra mim, passei mais 3 anos sozinha, tocando minha empresa e cuidando do meu filho, prometi pra mim mesma que não arrumaria mais ninguém, que por duas vezes não tinha dado certo, eu iria sim namorar, mas morar juntos não.
Trabalhava muito então não tinha muito tempo para pensar na vida pessoal, nos fins de semana eu pegava o Luis e ia dar umas voltas, e quando o Luis passava o fim de semana na minha mãe eu aproveitava pra descansar e dormir ...Uma bela noite, o telefone toca, e era quem?? sim meninas o diguinissimo, levei até um susto pois fazia muito tempo que não ouvia a voz dele. Conversamos por mais de uma hora no telefone, e ele simplesmente me pediu em casamento de novo, eu fiquei bege, pensei que fosse brincadeira dele, mas não era, ai pensei : - Bom, agora é minha chance, eu vou me vingar, aceitei, e apartir dai ele ligava toda noite, dizia que estava preparando tudo pra vir embora, para casar-mos, ai quando foi na véspera de Natal de 2004 , marquei com ele de termos uma conversa, mas que fosse na casa da minha mãe, (me sentia mais segura para o que eu ia fazer) hehehe.
Ai Quando foi a noite no horário marcado ele foi, todo faceiro, me deu um abraço e quando foi me dar um beijo eu virei o rosto, nessa hora minha mãe que estava na sala sumiu junto com o Luis, falei horrores pra ele, disse que eu não era palhaça, que depois de tantos anos ele vir me procurar como se ele nunca tivesse aprontado nada e bla, bla, bla, o homem ficou louco de bravo entrou no carro dele e foi embora...Meia hora depois estava no meu portão minhas duas cunhadas, dizendo que ele estava muito nervoso, e falando pra família inteira que eu tinha ficado louca, ai minha sogra (Que Deus a Tenha) pediu pra que elas fossem me chamar, que ela queria conversar comigo, e eu que não sou boba não fui, pois sabia o que me esperava.
Ele passou Natal e Ano novo em Londrina e foi embora, alguns meses se passaram e uma noite após ir jantar em uma churrascaria meu carro foi arrombado eu tinha deixado um envelope com dinheiro e certidão de nascimento do Luis e os ladroes levaram, tive que ligar pra ele no outro dia perguntando em qual cartório ele tinha registrado o Luis, pois eu tinha que tirar a segunda via e devido o nervoso eu não me lembrava mais, e ai passamos a conversar como amigos...Em Dezembro de 2005 ele me ligou convidando para passar-mos o Natal na praia em Santa Catarina, como o Luis insistiu muito acabei aceitando e fomos.
Fui no dia 23 e nossa intenção era passar ano novo também, então pedi para meu sobrinho dormir na minha casa enquanto eu estivesse fora e tratar dos meus dois cachorrinhos e fui mais tranquila...ele sempre muito carinhoso e prestativo...Nosso Natal foi tudo de bom, no dia 26 acordamos cedo e fomos fazer caminhada na praia, deixei meu celular desligado, fiz uma hora de caminhada e voltamos, estava separando minha roupa para tomar meu banho e resolvi ligar o celular, foi eu ligar e o celular tocar, era minha irmã pedindo para que eu voltasse urgente pra casa, pois meu sobrinho que tinha feito 19 anos em Outubro e estava cuidando da minha casa precisava muito de mim,( minha mãe estava tentando falar comigo desde as 6 da manhã) ai perguntei brincando se ele tinha sido preso, pois ele pegava o carro para fazer racha, e ela me disse que não, que ele estava morto.
Entrei em estado de choque, pois o Rodrigo era como um filho pra mim, na mesma hora ele foi pegando minhas coisas e colocado no carro, eu disse que ele não precisava me levar, que ele podia ficar, mas ele não quis, disse que não ia me deixar sozinha naquele momento, me abraçou e disse : - Eu te amo muito, na quele momento eu estava sofrendo muito, meu coração estava apertado e não tive tempo e nem cabeça pra assimilar, e voltamos pra Londrina.
No velório e no enterro do meu sobrinho ele ficou o tempo todo comigo, e ainda passou ano novo connosco, foi embora deixando saudades, mas me ligava toda a semana, quando foi em Fevereiro ele voltou pra Londrina, e nos convidou para passar o Carnaval na praia, eu não queria ir por causa da perda recente do meu sobrinho, mas minha irmã acabou me convencendo e fui, apartir daquele dia não nos separamos mais. Ele voltou pra Curitiba apenas para arrumar uma casa maior, e dois meses depois estava-mos morando juntos.
Em Agosto de 2005 me vi gravida do Lucas, o que foi uma alegria muito grande, pois depois de perder meu anjinho, fiquei 8 anos tentando engravidar do traste do tal M la do começo da historia e não conseguia, o que me leva a crer que Deus realmente é maravilhoso, pois ele não permitiu que eu tivesse filhos com outro homem a não ser com o meu primeiro e grande amor, o resto da minha historia vocês conhecem meninas, voltei pra Londrina, engravidei do Leonardo, depois da Aninha e estamos aqui, felizes e que Deus na sua infinita bondade permita que seja até que a morte nos separe.


Beijos e Paz

15 comentários:

Deisielle on 28 de novembro de 2009 07:56 disse...

Oie Flor!!!!


q carma q vc tinha com o pai do Luiz...vcs tinham q viver essa história de amor e passou -se anos mais a ligação falou mais alto entre vcs....

É amiga, o seu marido com certeza é seu "destino".

Linda a sua história..eu nem imaginava isso...
passei a conhecer um pouco mais vc...e te admirar ainda mais..Pois vc é uma guerreira.

bjãooooo
bom fim de semana

Deisi

Kicha on 28 de novembro de 2009 10:19 disse...

Tô boba! De queixo caído ,quando tu disse que tentou dar um irmãozinho pro Luiz e que demorou 8 anos , fiquei imaginando como deve ter sido dificil pra vc lidar com a infertilidade todos esses anos , mas nem em sonho imaginei que tu tava morando com outra pessoa ... que bom que teve um final feliz tua história.

on 28 de novembro de 2009 10:29 disse...

nossa!!!! amiga, q história sofrida mais muito feliz a sua hein?!
Para Deus td é possivel, tanto é q hoje vc tem a pessoa q ama ao seu lado e essa familia LINDA!!!!

Bjussss

pedradababy on 28 de novembro de 2009 13:55 disse...

Meu Deus Edneia, que linda história de amor. O vosso amor estava cravado no destino. Fiquei a admirar-te mais ainda.
Beijo

Bia on 28 de novembro de 2009 15:56 disse...

Uau! Era pra ser só com ele mesmo, hein.. =)

Andei sumidinha mas já li tudinho.. o Lucas está uma figura com as "pérolas", rsrs!

Beijoss

Dany on 28 de novembro de 2009 20:43 disse...

Quando as coisas tem que ser...serão...
E assim foi.
Cada dia mais te admiro!
bj

pedradababy on 29 de novembro de 2009 14:04 disse...

Olha, ontem li o teu post na loja, comentei. Depois fui para casa a pensar no assunto.
Lembrei-me que o Luis com certeza viu um sonho concretizado. Digo isto porque, é um sonho para todos os filhos de pais separados, voltar a ver os pais juntos. Alimentam essa ideia e às vezes até se armam em casamenteiros. É interessante pensar no que ele sentiu e de como ele viveu toda esta história.
Beijinho novamente

Bruna e Alicia on 30 de novembro de 2009 09:12 disse...

Nossa querida que historia bonita. Foi bem demorando ate que vcs podesse realmente viver esse amor juntos e finalmente constrir uma familia linda. Pra quem ñ podia ter filhos vc esta se saindo bem kkkkkkkkkkkkkkk ja são 4. Eu acredito em destino e sempre deixo a vida me levar. Ñ penso no futuro deixo nas mãos de Deus. bjs
Bruna & Alicia

Miguel...Presente de Deus on 30 de novembro de 2009 09:26 disse...

Nossa mais que história de amor, parece até novela. Concerteza ele foi quem Deus escolheu pra você.
Admiro sua coragem e sua enorme força para superar tudo isso.
bjs...

Mamãe Nathi on 30 de novembro de 2009 09:44 disse...

Flor!
És uma mulher admirável.
Hoje tens uma linda família.

Beijos***

Adriana on 30 de novembro de 2009 10:07 disse...

Linda! tenho um lema na minha vida TUDO O QUE DEUS FAZ É BOM e mesmo que as vezes Ele nos dê uma dificuldade, uma cruz que nã saibamos o porque estamos carregando, significa que lá na frente Ele tem alguma coisa maravilhosa para nos oferecer.
E foi assim com vc! linda sua história de vida, apesar dos espinhos no caminho.
Deus une perfeitamente todas as coisas!

bjs e uma ótima semana!

Maria José on 30 de novembro de 2009 10:34 disse...

Amiga cada dia te admiro mais e mais que grande mulher e mãe que tu és
bjokas

Priscila Sant'Anna on 1 de dezembro de 2009 00:01 disse...

Edneia,

Me emocionei muito com a tu história e ao ver que ao final, depois de tanta dificuldade, o amor venceu..

Até quando Deus nos prova, Ele é Bom.

E que lindo hoje ver a família que vcs formaram!

Beijos,

Pri e Bia

cantinhodafelicidade on 2 de dezembro de 2009 09:31 disse...

Linda história apesar das dificuldades enfrentadas. E quando é pra ser não tem jeito, o destino de vocês já estava traçado desde o começo.
Veja que família linda! Adorei o novo visual do blog.
Saudades de vocês no nosso bloguinho viu?
beijoz

Paula on 2 de dezembro de 2009 12:28 disse...

ola Edineia,meu nome é Paula e conheci seu blog através do blog da Dani mãe da Isabela,adorei seu cantinho e seua filhos.
gostaria de poder continuar te visitando.posso te linkar?
passe no meu blog para me conhecer
se quiser pode me linkar.
http://paulaefilhos.blogspot.com


você tem quatro filhos?


beijos

Ja Falei

 

Copyright © 2008 Green Scrapbook Diary Designed by SimplyWP | Made free by Scrapbooking Software | Bloggerized by Ipiet Notez